Como funciona o sistema de aquecimento da fasterm

Como funciona o sistema de aquecimento de água da Fasterm?

Investir em sistemas que garantam o bem-estar de seus clientes é um dos pontos essenciais para o sucesso de qualquer hotel. O banho é um dos momentos mais prazerosos para os hóspedes e, por isso, muitos gestores de hotéis têm investido em tecnologias que permitem o aquecimento da água, trabalhando a qualquer hora, em qualquer estação do ano, com confiabilidade e, ainda, economia.

Comum em regiões da Europa, além dos Estados Unidos e Canadá, o Brasil tem aderido à tendência de substituir os chuveiros elétricos por aquecedores de água, por meio de sistemas de caldeiras, centrais térmicas e, mais recentemente, as bombas de calor.

O sistema com bombas de calor geram grande economia e, no longo prazo, ajuda a aumentar a margem de lucro dos hotéis.

A seguir, saiba mais sobre essa solução e entenda como funciona o sistema de aquecimento de água da Fasterm.

O sistema de aquecimento de água

Atualmente, no mercado, existe uma variedade de equipamentos com diferentes tecnologias, garantindo água com temperatura de até 60º C, e o mesmo grau de eficiência que um chuveiro elétrico.

Os equipamentos mais comuns são os aquecedores a gás. De fato, o gás no Brasil é muito mais barato do que a energia elétrica. No entanto, quando se leva em consideração outros fatores, o aquecedor a gás acaba se tornando dispendioso.

Isso ocorre porque ele utiliza muito mais água, necessitando de uma pressão maior para funcionar, aumentando a conta de consumo de água. Nesse quesito, ao comparar todos os custos envolvidos, o chuveiro elétrico pode ser até mesmo mais econômico do que o aquecedor a gás.

Outra desvantagem é que, além do alto custo do equipamento, caso a água não tenha pressão suficiente, é necessário instalar pressurizadores, além de tubulação específica, espaço para acondicionamento dos boilers e misturadores.

Há, ainda, os aquecedores que funcionam a lenha ou diesel. Entretanto, essas tecnologias são consideradas não ecológicas, pois emitem gases que promovem o aquecimento global.

Outra opção seria a adoção do aquecimento com painéis solares, no entanto, para garantir água quente a qualquer hora e em qualquer época do ano, seria necessário utilizar um sistema secundário de aquecimento, como forma de backup.

A solução da Fasterm

A Fasterm conta com uma linha de soluções de sistema de aquecimento de água que garante até 75% de economia para o seu hotel.

Isso ocorre, pois as bombas da Fasterm possuem uma tecnologia inovadora que aquece a água retirando o calor do ar. Dessa forma, não há gastos com gás, diesel, lenha ou outros tipos de combustíveis, e a energia elétrica só é utilizada como fonte de alimentação para manter o aparelho ligado.

As bombas funcionam à base de energia limpa e renovável, não emitindo gases, fumaça nem quaisquer tipos de partículas nocivas no ar, como, por exemplo, o dióxido de carbono, um dos principais gases do efeito estufa.

Investir nesse sistema de troca de calor é demonstrar que seu hotel investe em tecnologias que promovem a conservação e sustentabilidade do meio ambiente.

Além da economia com energia, os equipamentos da Fasterm foram projetados para ocupar pouco espaço, se adaptar ao sistema já existente e às necessidades de cada hotel, inclusive para grandes volumes de água, de forma que não é preciso grandes obras para instalá-lo.

O sistema de aquecimento de água da Fasterm também pode ser utilizado em paralelo com outros equipamentos, servindo como sistema principal ou mesmo de backup.

Mesmo quando o seu hotel utiliza o sistema de aquecimento solar, a Fasterm se destaca e se mostra a melhor opção como sistema de apoio, suprindo as carências do sistema principal em dias nublados ou mesmo durante a noite.

E você, quais tipos de tecnologias utiliza em seu hotel para aquecer a água? Já conhecia a tecnologia de troca de calor dos equipamentos da Fasterm? Ficou com alguma dúvida sobre sistema de aquecimento de água? Entre em contato ou deixe sua mensagem nos comentários! Até a próxima!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *