4 DICAS PARA DIMINUIR O VALOR DA CONTA DE CONDOMÍNIO

4 DICAS PARA DIMINUIR O VALOR DA CONTA DE CONDOMÍNIO

A preocupação com o valor da taxa condominial é uma constante em qualquer condomínio, independentemente de seu tamanho.

Em razão disso, estratégias para economizar são pautas frequentes nas assembleias, recaindo sobre o síndico a responsabilidade de regular os gastos e fazer um planejamento econômico favorável aos condôminos, seja com a ajuda de uma administradora ou não.

E, especialmente diante de crises econômicas, essa tarefa – que, convenhamos, não é nada fácil – pode se tornar bem mais simples e eficiente com alguns pequenos truques.

Pensando nisso, preparamos este post para te ajudar a tomar decisões mais estratégicas, auxiliar no controle de gastos do condomínio e manter os moradores mais tranquilos e felizes.

Acompanhe!

1.  Reveja a folha de empregados

Normalmente, os condomínios tendem a reduzir o custo com funcionários fazendo com que cada um dos seus contratados seja responsável pelo máximo de atividades possível.

Um exemplo prático do que não dá muito certo é colocar o zelador para cuidar da limpeza dos espaços comuns, da segurança, da jardinagem, do tratamento da piscina, da pintura da garagem, da TV coletiva, das ligações elétricas de emergência e de muitas outras coisas.

Pode até parecer econômico por concentrar as atividades em uma pessoa só, mas é preciso verificar, na ponta do lápis, se essa ideia é de fato mais vantajosa do que contratar um profissional para funções específicas – que podem até ser agrupadas, mas que ele consegue executar com proveito por estarem dentro de seus conhecimentos práticos ou técnicos.

Afinal, muito provavelmente, o zelador não terá tempo para se dedicar a cada atividade como deveria, o que pode culminar em despesas extras com outros profissionais para realizar os mesmos serviços, não executados apropriadamente.

Logo, uma decisão que era pra ser econômica pode acabar gerando ainda mais gastos, prejuízo ao condomínio e dores de cabeça decorrentes das reclamações dos condôminos.

Uma solução prática para redução de despesas com pessoal pode ser substituir a portaria presencial pela virtual, em que a recepção é feita por interfone, de maneira remota. Outra possibilidade é a terceirização de serviços de limpeza e manutenção, reduzindo o peso dos encargos trabalhistas.

2. Economize nos gastos fixos

Os custos com aquecimento de água para banho, por exemplo, estão entre os maiores custos operacionais de um edifício. Mas, reavaliando o gasto energético do condomínio, e adotando tecnologias que ajudem a promover maior economia, é possível conseguir melhores resultados sem interferir no conforto dos moradores.

Buscar alternativas aos aquecedores a gás ou resistência elétrica, por exemplo, tem se tornado tendência e pode resultar em economias expressivas em curto espaço de tempo, possibilitando, inclusive, a realocação de investimentos.

Seguindo o exemplo de regiões da Europa, além dos Estados Unidos e Canadá, o Brasil tem aderido à substituição dos chuveiros elétricos por sistemas mais assertivos de aquecimento de água como, por exemplo, as bombas de calor.

A solução, que tira calor do ar para aquecer a água, é também mais sustentável e perfeitamente adaptável a condomínios prediais, podendo representar uma boa saída para evitar cotas extras e gerar caixa para futuras reformas ou melhorias no condomínio.

Analisar as vantagens dessa tendência mundial para aquecimento de água que agora chega com intensidade ao Brasil é um investimento de tempo que pode trazer grandes benefícios e enorme economia de dinheiro para seu condomínio.

3. Preste atenção aos pequenos gastos

Existem despesas que parecem pequenas, considerando os gastos gerais do condomínio, mas que, quando somadas, pesam no bolso dos condôminos sem necessidade.

Um exemplo é a compra de produtos de limpeza. É preciso pensar cuidadosamente na quantidade e no prazo de validade, para evitar deterioração e desperdícios – ou seja, dinheiro jogado fora.

Outro ponto interessante tem a ver com a contratação de serviços. Antes de se decidir por um serviço de jardinagem, reparo ou construção, faça no mínimo de três a cinco orçamentos e busque referências outros síndicos de outros condomínios próximos ao seu.

Afinal, mesmo que a diferença entre um preço e outro não seja significativa, ela pode cobrir eventuais despesas no futuro. Cada centavo conta quando falamos em custo-benefício a longo prazo!

4. Faça campanhas internas

Economia de água na lavagem de louças, de roupa ou na diminuição do tempo de banho – inclusive deixando de fazer a barba debaixo do chuveiro ligado – podem ser alguns exemplos de campanhas internas bem-sucedidas que reduzem as despesas mensais, principalmente agora que o valor do fornecimento dessa importante fonte de energia está marcado por bandeiras e atrelado ao nível de água das hidrelétricas.

Além disso, todo condomínio predial deve ter a manutenção preventiva como uma de suas prioridades, que são significativamente mais baratas que as obras de reparação.

Algumas delas são manutenção de elevadores, impermeabilização, verificação de vazamentos, inspeção de para-raios… Tudo isso evita obras de grande porte e, consequentemente, alto custo para os condôminos.

Ainda nesse tópico, a escolha de soluções que requeiram menos manutenções preventivas também é uma forma de economizar.

Quer continuar por dentro das soluções mais assertivas e econômicas para a gestão do seu condomínio? Assine a nossa newsletter no formulário ao lado e receba nosso conteúdo exclusivo em primeira mão!

Até a próxima!

Conheça a tecnologia que está revolucionando o aquecimento de água
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *